Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Os 11 elementos da curadoria

Curadoria é uma das palavras do momento! Mas você sabe o que ela significa, e ainda mais, sabe como promover essa prática?

Eu sou Wagner Cassimiro e este é o Espresso3.

Por que criar mais conteúdo, se o mundo já está repleto dele? A cada dia milhões de novas páginas são colocadas no ar e milhares de cursos são disponibilizados. Logo, ao invés de desenvolver mais recursos redundantes, precisamos primeiro promover a escolha certa desses conteúdos já existentes, sempre pensando em adequá-los ao momento certo e na dosagem certa.

Curadoria é uma palavra que remete a museus e exposições, no qual a coleção e as obras precisam ser selecionadas, promovidas e protegidas. No contexto organizacional curadores são especialistas em determinados assuntos, pesquisadores por natureza, que atuam na busca, avaliação, seleção e disponibilização de conteúdos relevantes aos interessados para a organização atingir seus objetivos.

Podemos ter inúmeros formatos e atores para promover a curadoria em uma organização.

O primeiro, que remete muito ao próprio museu, é o comitê curatorial, composto por membros que se reúnem para avaliar e selecionar os conteúdos. O segundo é a adoção de experts internos em diversas áreas de domínio atuando individualmente.

Além dos especialistas, este papel também pode ser descentralizado. Assim, temos como terceiro e quarto formatos, respectivamente, o uso dos próprios criadores e consumidores de conteúdo, e a adoção de crowdsourcing e mídias sociais, assim como já acontece no LinkedIn e no Facebook, por exemplo.

Também, podemos adotar algoritmos para sugerir conteúdos mais adequados ao perfil e aos interesses do usuário. Por fim, podemos inclusive terceirizar esta função para alguém de fora da organização.

Independente do formato, todos terão que considerar alguns critérios essenciais para o seu sucesso. Veremos agora 11 elementos para se considerar em um processo de curadoria desenvolvido por Mark Rosenberg:

  1. Acurácia: o conteúdo precisa estar correto e testado.
  2. Autenticidade: o conteúdo precisa ser original.
  3. Credibilidade: o conteúdo precisa vir de uma fonte confiável e segura.
  4. Compreensão: o conteúdo precisa ser completo, claro e didático em sua abordagem.
  5. Suficiência: o conteúdo precisa ser na medida certa. Nem pouco, nem em excesso.
  6. Sem viés: o conteúdo deve evitar vieses de pensamento e promover múltiplas visões.
  7. Relevante: o conteúdo precisa ser priorizado.
  8. Conveniência: o conteúdo precisa ser fácil de encontrar, de aprender e de usar.
  9. Sinergia: o conteúdo deve somar com os demais conteúdos existentes e evitar conflitos.
  10. Proteção: o conteúdo pode estar protegido, logo é necessário zelar por sua autoria e verificar questões de sigilo e divulgação.
  11. Validade: o conteúdo precisa de um plano de expiração. Afinal, até quando ele estará válido?

Agora que você conheceu os elementos que os curadores deverão ter em mente. Inicie seu projeto de curadoria e veja o impacto que ela pode ter em sua organização.

Acesse o site do Espresso3 e mantenha-se conectado. Até mais!

 

 

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

Como conheceu o Espresso3?

 

Inscreva-se!