Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Série McDonald’s University |3 de 6| Metodologias de aprendizagem

Olá, estou aqui com Igor Ferreira, da McDonald’s University, para falar sobre metodologias de aprendizagem. Eu sou Wagner Cassimiro e este é o Espresso3.

Igor, quais as metodologias inovadoras ou eficazes que vocês têm trabalhado aqui?

Hoje a gente tem uma abordagem de on the job, que é a mais tradicional no mercado como um todo, mas o McDonald’s tem tentado evolucionar, como nosso presidente gosta de falar, essas abordagens no que diz respeito a ter abordagens mais modernas, mais relacionadas principalmente com esse público que a gente hoje tem dentro dos nossos restaurantes. O McDonald’s hoje é composto, 80% do seu headcount por uma faixa aí dos milleniuns ou da geração Y, pessoas entre 17 e 21 anos, que têm uma maneira diferente de aprender. Por conta isso tivemos que mudar a nossa maneira de ensinar nossos atendentes lá na ponta do restaurante. Se antes nós fazíamos toda a parte de treinamento das estações de trabalho pelas listas de verificações em um formato muito manual, onde ele tinha que ler etapa por etapa, passava por um período de treinamento dentro da organização, hoje estamos evoluindo isso para uma abordagem de vídeos, de realidade aumentada, de simulação, fazendo com que o participante possa de fato participar do processo de aprendizagem. Então, temos substituído a palavra educar por colaboração, por aprendizagem, ou seja, o estudante ou funcionário faz parte do processo de aprendizagem.

Legal. E do ponto de vista do aprendiz, ele acolheu melhor essa metodologia ou ele ainda tem vontade de voltar aos métodos antigos?

É interessante a sua pergunta, porque nós latinos no geral temos um pouco essa característica de querer estar dentro de sala de aula, de ter essa proximidade com o facilitador. Temos enfrentado bastante desafios com relação a isso, não diria uma resistência, mas muito mais como entender como esse novo funcionário tem pensado. Quando olhamos ferramentas, como Facebook ou outras coisas mais interativas, isso é um caminho que temos tentado adotar e tem funcionado. Se ele faz parte do processo de aprendizagem e essas metodologias vão ao encontro dos interesses dele, isso tem funcionado muito bem.

E do seu ponto de vista, a aprendizagem melhorou? Ou seja, o processo de aprendizagem se tornou mais rico, mais produtivo?

Eu acredito que sim, por alguns aspectos, tanto no comportamental, porque conseguimos engajar e envolver esse funcionário antes. Se antes nós tínhamos um desafio de passar por um processo, por um padrão, por conta de ter que entregar isso nos restaurantes, hoje a partir do momento que você consegue se comunicar com esse funcionário de uma maneira mais interativa, com uma ferramenta mais interessante, que faz parte do dia a dia dele, isso facilita o entendimento dele, e consequentemente a entrega desses resultados vem com uma velocidade mais rápida e mais interessante para a organização.

Ok, muito obrigado.

Obrigado você.

mc-03-01-01

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

Como conheceu o Espresso3?

 

Inscreva-se!