Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Série Paulo Sabbag |4 de 6| Desenvolvimento de competências técnicas

Olá, voltamos a conversar com Paulo Sabbag e agora falaremos sobre desenvolvimento de competências técnicas. Eu sou Wagner Cassimiro e este é o Espresso3.

Professor Sabbag, que fatores devem ser considerados no desenvolvimento de soluções de aprendizagem para se trabalhar questões técnicas?

A primeira questão eu acho importante ressaltar, Wagner, é que nós temos uma tradição de separar peritos de novatos. Quando na verdade o perito tem que ter uma abordagem diferente educacional, mas o novato se aproveitaria muito melhor se houvesse uma interação com o perito. Então, isso vai representar um desafio para o planejamento desse desenvolvimento de competências.

Em segundo lugar, nós nos habituamos a privilegiar o desenvolvimento da competência técnica e não o da competência gerencial. E por isso haviam sempre treinamentos, cursos e oficinas técnicas e também um trabalho comportamental. Eu acho que nós também precisamos romper com isso. Por essa razão eu entendo que nós precisamos desenvolver novas premissas para fazer um desenvolvimento de competências sejam elas técnicas ou gerenciais.

Quais sugestões você poderia passar para aqueles que estão com o desafio de implementar esse desenvolvimento de competências técnicas?

Primeira solução é muito simples: sempre misturar o perito com o novato. Numa educação convencional em que tem o professor fazendo preleção isso não seria adequado, mas eu acredito que usando um modelo educacional mais participativo, onde nós nos baseamos mais na experiência que o próprio pessoal tem, a mistura do perito com o novato é muito fecunda.

Em segundo lugar, nunca fazer um treinamento técnico sem carregar consigo algumas competências gerenciais e vice-versa. O treinamento técnico envolve aquilo que o americano chama de hard skill, competências duras, enquanto o treinamento gerencial é muito mais baseado em soft skill, que eu prefiro traduzir por competências brandas. Parece-me um pouco esquisito separar competências duras e brandas porque qualquer que seja a posição que pessoa esteja no desenvolvimento gerencial sempre haverá um mescla das duas.

Ok, muito obrigado!

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

Como conheceu o Espresso3?

 

Inscreva-se!