Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Série Sofia Esteves |2 de 6| – Mudanças na Carreira dos Sonhos

Olá! Estou aqui com Sofia Esteves para falar sobre mudanças na Carreira dos Sonhos. Eu sou Wagner Cassimiro e este é o Espresso3.

Sofia, a pesquisa sobre Carreira dos Sonhos vem sendo feita há 15 edições. Quais as mudanças que você percebeu nesse tempo?

Olha, há 15 anos as pessoas estavam muito focadas em crescimento profissional. As pessoas buscavam remuneração. Há 13 anos remuneração chegou a ser o primeiro quesito mais importante para as pessoas escolherem a carreira. Porque a pergunta era “se você pudesse escolher uma empresa para você iniciar a sua carreira, que empresa seria essa?”. E remuneração veio como um dos fatores principais de escolha das empresas. Isso desapareceu nos últimos anos. Claro, o salário é importante, mas não é só ele. Hoje, nos últimos 3 anos o que vem aparecendo no topo da lista é desenvolvimento profissional. As pessoas querem continuar se desenvolvendo, continuar encontrando atividades em que ele se sinta desafiado, que ele sinta que está aprendendo cada vez mais e podendo contribuir cada vez mais com as empresas.

E quais fatores explicam essas modificações? É geracional, é contexto econômico? Vocês chegaram a pesquisar?

Olha, eu acho que tem um pouco de cada fator. Eu acho que o mundo, essa globalização toda que vivemos nos últimos 15 anos traz um pouco de realidade, não só tão local. E tem uma questão geracional sim. Essas novas gerações que entraram no mercado, os milennials, a geração Y, são gerações que vieram fortemente com essa pegada de legado, de vida, propósito, não é só o dinheiro, eu quero ser feliz. Isso nós devemos sim a essas novas gerações que estão exigindo do mundo um mundo mais coerente.

E nos últimos cinco anos vocês começaram a fazer essa pesquisa em outros países, há diferença entre os países?

No início havia bastante, Wagner. Alguns países valorizavam muito a questão da liderança, aquele chefe autocrático que mandava, que no Brasil essa cultura não é forte, nunca foi, pelo menos nesses últimos anos. E aos poucos, eu acho que de novo pela globalização, a questão da internet conectando muito mais as pessoas, hoje os resultados são muito semelhantes em toda a América Latina. Então, os jovens hoje, em toda a América Latina, o desenvolvimento profissional é o critério mais importante. Busca de desafios, e do propósito de vida estar alinhado o pessoal com o profissional, hoje são as coisas que mais importam para qualquer país da América Latina.

Isso acaba contribuindo para tornar políticas regionais de empresas globais um pouco mais padronizadas, universais?

Hoje, na realidade, está cada vez mais customizado, porque embora tenha um desejo maior falando de desenvolvimento, a forma que eu vejo que é desenvolvimento profissional pode ser diferente do que para você. Então as empresas estão tendo que trabalhar, nós vivemos em um mundo em que tudo é customizado. E essas gerações estão exigindo isso do mundo do trabalho também. Então, aquilo que é flexibilidade de horário para mim pode ser uma coisa superimportante, para você talvez possa não ser. Home office para um é mais importante do que para outro. Então, entender a demanda e os objetivos de cada pessoa é muito importante para eu poder criar flexibilidade que vem ao encontro daquilo que as pessoas estão buscando em troca de uma boa performance, de uma boa qualidade de entrega e de resultado, mais do que o controle sobre esse resultado.

Ok, muito obrigado!

 

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

 

Inscreva-se!