Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Série Suceg – Alessandro Marguerita – 3 | 3 – What’s Next?

We’re back with Alessandro Marguerita and now we’re going to talk about what’s next.

What’s next in the stakeholder university! You know I’m not a visionnaire, meaning that it’s not my most specific aptitude. But I like to say that the what’s next is strictly related to what’s happening today. And what is happening today is that more and more people, individual institution, are working together to better addressing their problems. Now, there is one very important concept to recall today. Is the concept of collective intelligence. The concept collective intelligence originates from the work of Sirovich and Lévy, professor Lévy in the seventies and the wisdom of crowd of professor Sirovich. What’s the concept beyond collective intelligence? The concept beyond collective intelligence, analized recently by professor Thomas Malone of MIT, is the fact that the people and machine together can solve problems better than if they were alone. So the concept of collective intelligence it’s very simple, but powerful. The idea that people together using the power of computers today can solve problem easily, not easily, but easier than yesterday it’s very relevant for our society, because we are experiencing a phase of a big problem, big challenges. I like to say the wicked problems, so problems which you don’t have a predefined solution. Because people from different perspectives see problems in the different ways. So there’s not just one way to solve big problems. To let people create collective intelligence. Collective knowledge and collective intelligence. One example is there MIT climate colab, these people are trying to create a distributor the conversation aimed to solve the problem of climate change, which is very relevant problem in our society. I is a good example of how digital technology can be used to streamline the collaboration of people address and to solve complex issues.

And what should we do to be prepared for it?

It’s what I say always to my students when I’m in class: remember you are the professional of tomorrow and the world is changing. You cannot be the professional of just 30 years ago. The society today needs a very strong problem solving orientation. So there is one thing that we can do to be prepared: to start thinking that you are people who have to solve problems. So a problem orientation, a problem driven perspective. And since problem cannot be solved by the same person that was creating them or experiences them. Einstein said many years ago: the key is to develop an interdisciplinary mindset. To be able to see problems from different perspectives, in terms of different points of view. We can express the idea with a concept of a T-Model of competence, the T shape model. The professional tomorrow will be a t-shaped professional. It means that he will have a strong specialized and focused expertise one field, but he will have also a soft skill, horizontal skills. Horizontal skills means that you are able to be in a society, it’s not just to be able to know one given field of expertise, but you have to understand that you are part of the word, and the problem that you are trying to address can be solved out the only by a virtuous combination of different points of view, of different expertise.

Thank you!

TRADUÇÃO

Estamos de volta com Alessandro Marguerita e agora vamos falar sobre o próximo passo.

Qual é o próximo passo na universidade de stakeholders! Você sabe que não sou um visionário, o que significa que não é minha aptidão mais específica. Mas eu gosto de dizer que o que o próximo passo é estritamente relacionado ao que está acontecendo hoje. E o que está acontecendo hoje é que cada vez mais pessoas, instituições individuais, estão trabalhando juntas para resolver melhor seus problemas. Agora, há um conceito muito importante para se lembrar hoje. É o conceito de inteligência coletiva. O conceito de inteligência coletiva é originário do trabalho de Surowiecki e Levy, o professor Levy nos anos setenta e a sabedoria das multidões do professor Surowiecki. Qual o conceito além da inteligência coletiva? O conceito além da inteligência coletiva, analisado recentemente pelo professor Thomas Malone do MIT, é o fato de que as pessoas e as máquinas juntas podem resolver problemas melhor do que se estivessem sozinhos. Então, o conceito de inteligência coletiva é muito simples, mas poderoso. A idéia de que as pessoas juntas usando o poder dos computadores hoje podem resolver problemas facilmente, não facilmente, mas mais fácil do que ontem é muito relevante para a nossa sociedade, porque estamos passando por uma fase de grandes problemas, grandes desafios. Eu gosto de dizer os problemas perversos, ou seja, problemas que você não tem uma solução predefinida. Porque as pessoas de diferentes perspectivas vêem problemas de diferentes formas. Portanto, não há apenas uma maneira de resolver grandes problemas. Para permitir que as pessoas criem inteligência coletiva. Conhecimento coletivo e inteligência coletiva. Um exemplo é o MIT Climate Co-lab. Essas pessoas estão tentando criar uma conversa distribuída com o objetivo de resolver o problema da mudança climática, que é um problema muito relevante em nossa sociedade. É um bom exemplo de como a tecnologia digital pode ser usada para simplificar a colaboração das pessoas e resolver problemas complexos.

E o que devemos fazer para estar preparados para isso?

É o que eu digo sempre aos meus alunos quando estou na aula: lembre-se que você é o profissional do amanhã e o mundo está mudando. Você não pode ser o profissional de apenas 30 anos atrás. A sociedade de hoje precisa de uma orientação de resolução de problemas muito forte. Então, há uma coisa que podemos fazer para estarmos preparados: começar a pensar que você é uma pessoa que tem que resolver problemas. Então, uma orientação para o problema, uma perspectiva orientada para o problema. E como o problema não pode ser resolvido pela mesma pessoa que os criou ou os experimenta. Einstein disse há muitos anos: a chave é desenvolver uma mentalidade interdisciplinar. Para poder ver problemas de diferentes perspectivas, em termos de diferentes pontos de vista. Podemos expressar a idéia com um conceito de competencia no T-model, o modelo de forma de T. O profissional amanhã será um profissional em forma de T. Isso significa que ele terá um especialista forte especializado e focado em um campo, mas ele terá também habilidades comportamentais, habilidades horizontais. As habilidades horizontais significam que você pode estar em uma sociedade, não é apenas conhecer um determinado campo de especialização, mas você tem que entender que você é parte do mundo, e o problema que você está tentando resolver pode ser resolvido apenas por uma combinação virtuosa de diferentes pontos de vista, de diferentes conhecimentos.

Obrigado!

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

Como conheceu o Espresso3?

 

Inscreva-se!