Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Série Suceg – Profª Patrícia – 3 | 3 – Constituição de uma Universidade Corporativa em Rede

Olá, voltamos a falar com a professora patrícia de Sá Freire e agora a gente vai falar sobre como criar uma universidade corporativa em rede.

Professora, como criar uma universidade corporativa em rede?

Nós desenvolvemos um modelo de implantação da universidade corporativa em rede. Desenvolvemos a teoria, elaboramos a metodologia, mas o mais importante hoje para a inovação não é só ficar no pensamento teórico. É saber como implantar. E estávamos sendo muito demandados desse processo de implantação. Então realmente nós desenvolvemos um modelo de implantação onde ele tem treze etapas. São quatro primeiras etapas de diagnóstico. Então como qualquer processo de implantação bem feito de um projeto você começa com as etapas de diagnóstico, para diagnosticar em que estágio nós estamos na universidade corporativa, quais os elementos que precisam ser gerenciados, como está o nível do nosso fluxo informacional, os bloqueios para que se integre essa rede de comunicação.

Depois nós passamos por algumas etapas de planejamento, onde vamos de revisitar, caso tenha, o projeto político pedagógico da escola, percebendo se esse projeto político pedagógico ele só está com foco interno ou como ampliar esse foco identificando seus stakeholders e trabalhando com estratégias muito mais de rede do que não só a rede interna. E vamos propor… entramos numa fase, ainda nessa fase de planejamento, de trilhas de aprendizagem. Quais conhecimentos têm que ser desenvolvidos, não só internamente mas para rede, quais estratégias serão essas de trilha de aprendizagem e identificar tantos os cursos como os eventos… São ações educacionais que precisam ser montadas nas trilhas não são lineares e verticais, pelo contrário, como dar dinamicidade essas trilhas para que a aprendizagem se processe ao final.

Depois entramos numas fases, são três a quatro fases, de termos de referência que nós chamamos. Quais são os termos de referência que vão dar apoio à escola de governo e a universidade corporativa para criar essa parceria. Porque as parcerias externas, essa rede externa, ela precisa ser institucionalizada. Ela tem que sair apenas de uma rede de parceria para uma rede de aprendizagem. Então nós precisamos saber o que que nós temos a dar, o que que nós precisamos do outro, como negociar essa parceria para que seja realmente produtivo para todos.

Então nós passamos por algumas etapas de elaboração desses termos de referência. Depois são desenvolvidos os modelos: modelos de avaliação em rede, modelo de comunicação em rede e modelo de governança da aprendizagem em rede. E por fim a capacitação. Então capacita-se e identifica-se todos os stakeholders que vão trabalhar nesse projeto, nessa na universidade corporativa em rede, e capacitá-los para essa participação. Porque não vamos pensar que o colaborador, o educador que está acostumado a olhar só pra dentro não precisa ser treinado para gerenciar e negociar, trabalhar, dialogar com outro.

Professora pelo que eu percebi é uma longa jornada para constituir esse modelo. Que recomendações você daria para as organizações que estão iniciando essa trajetória?

Eu acho que a principal ação é reunir as pessoas envolvidas nas suas ações educativas e fazer um brainstorm. Olhar, se auto-avaliar e identificar mesmo “o que eu estou fazendo hoje?”, “a capacitação que eu estou dando hoje, que estou oferecendo à minha organização, está impactando os resultados dela?”. Porque se você… o que se faz hoje na área de desenvolvimento humano e organizacional da sua organização está dando impacto, está resultando no que o projeto estratégico pretende, ok! Vamos cantar parabéns! Eu acho que esse é o principal passo. Mas na hora que você identificar “não, eu não estou alinhado com a minha estratégia. Eu não estou conseguindo mensurar esse impacto. Eu não estou sendo no mínimo reconhecido nesse trabalho. Eu tenho stakeholders para eu alcançar meus objetivos e eu preciso de outros partícipes, não adianta eu sozinho ou só quem eu estou treinando.” Então eu acho que essa é a primeira etapa. A etapa do diagnóstico, da auto avaliação. E a partir disso você conseguir realmente criar um projeto político pedagógico e uma implantação de um modelo que avança, que ajuda você a alinhar e dá resultado para sua organização.

Ok, muito obrigado!

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

Como conheceu o Espresso3?

 

Inscreva-se!