Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Série Fast Shop |1 de 6| – Diagnóstico de demandas educacionais

Olá. Estou aqui com Alessandro Marinho da Fast Shop para falar sobre diagnóstico de demandas educacionais. Eu sou Wagner Cassimiro, e este é o Espresso3.

Alessandro, quais os métodos que vocês utilizam para fazer o diagnóstico das demandas educacionais?

Wagner, hoje utilizamos alguns métodos tradicionais, como a LNT (Levantamento de Necessidades de Treinamento), mas estamos avançando muito forte na questão do online. Como temos uma plataforma que funciona muito bem e que tem uma aderência muito grande, usamos essa plataforma para conversar com o time, que está localizado em 9 estados diferentes. Inclusive fizemos, em 2016, um levantamento via plataforma e foi muito bom, todo mundo respondeu e já sabemos como treinar o time esse ano e como produzir os conteúdos. Além disso, existe uma conversa muito próxima da área de treinamento com a área de negócio e com a área de vendas, participando ativamente das reuniões, para entendermos, do lado da estratégia, onde devemos atuar. E junto com os fornecedores, porque trabalhamos com muitos produtos e muitos lançamentos. Somando tudo isso, temos a junção da nossa LNT, bem estruturada e forte para montar os conteúdos para o ano seguinte.

Você mencionou o “time”, quem são essas pessoas?

Para a área de vendas começamos a trabalhar uma construção coletiva de conhecimento, porque ninguém melhor do que o próprio vendedor, que é o nosso maior volume de funcionários, cerca de 2 mil, para nos dizer onde dói mais. Então, o que ele precisa de informação, como está a negociação do cliente no PDV, quais são as principais objeções, o que ele precisa conhecer mais sobre determinado produto e assim por diante. Então, nós sempre consultamos esse time para ter o retorno ideal para construirmos os nossos conteúdos.

E quais dicas você poderia passar da sua experiência sobre boas formas de fazer um diagnóstico fidedigno, real e que contribua para o negócio?

Algo que eu, como gestor de treinamento, defendo muito é que a área de treinamento precisa estar inserida dentro do negócio. Não adianta ficar dentro do escritório pensando em milhares de metodologias e conteúdos para capacitar alguém, se eu não entendo o negócio. Então, é preciso estar inserido, participar das reuniões de negócio, visitar muita loja e estar em campo. Eu tenho um time de especialistas que está constantemente em campo coletando informações para que possamos entender melhor onde podemos atuar, ou seja, construir um conteúdo que realmente seja relevante, que traga resultado lá no final, que as pessoas olhem e digam “eu preciso disso, porque isso vai me fazer vender mais. Preciso disso porque isso vai fazer eu melhorar o processo x”.

Muito obrigado!

 

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

Como conheceu o Espresso3?

 

Inscreva-se!