Wagner Cassimiro
View Wagner Cassimiro's profile on LinkedIn

Série Suceg – Alessandro Marguerita – 2 | 3 – Challenges to implement a stakeholder university

We are back with Alessandro Marguerita, and now we are going to explore the challenges to implement a stakeholder university.

Alessandro, what are the main challenges to implement a stakeholder university?

There is one, the biggest challenge in my view it’s a mindset challenge. I like to repeat what Niccolo Machiavelli said about introducing a new order of things. Introducing a new order of things is the more complicated things to do, because you have to face what people is used to do in their life and their job. So the mindset is a challenge in many cases, but in management the mindset is a challenge, is a barrier to overcome. Because when it comes to create a stakeholder university means that you have to share your knowledge. So in many cases knowledge is your most important competitive advantage asset. Creating a stakeholder university means opening your work to the external world and get in touch with the stakeholder which are outside your institution. The biggest challenge is to start to think that you are not alone in the world, you are not operating in vacuum, you have to interact with others. So this is a big challenge to overcome. The awareness of the management in that case, that changing and adopting the new model is relevant is important and is it visible.

How do you overcome this challenge?

Again it’s a matter of awareness. In many cases managers simply don’t know that is important for them to do that. Top management remember that is important when it’s too late, when the competitors overcome them, they are creating their new initiative which allowed them to overcome them in terms of market share, in terms of competitiveness, in terms of markets retention. So, one thing is to try to find an evangelist, what I call. Inside every organization there’s one person or one group of person that is more able to capture the need, the trend outside in the world and to transform the need into an action. So my suggestion is to find an evangelist within the company, can be a manager, can be employees, one person that try to spread in the organization the culture of innovation. The importance of adopting a new model. It’s what I call the evangelist.

Besides the evangelist, do you have another recommendation?

Finding a good evangelist is the starting point that you are working on developing the awareness in your organization. But then comes the implementation. And when it comes to implementation it is important to have the right resources, not just financial resources, but also human resources, that have a good project management approach, because, you know, in that case when it comes to implement to stakeholder university means, by an operational perspective, that you have to design an effective and complex implementation project. So the complexities are associated to the project, implementation complexities are related to finding the right resources, financial resources and to create the right organization model, the right human resources management model. I have to say that is very important that when you embark into a very complex stakeholder university project is important that you have very clear ideas on what to do and when. This means that you have to design an integrated model. Building a stakeholder university means building new ways of working, new ways of interacting with partners, new ways of organizing knowledge, new ways of creating and applying knowledge. So building a stakeholder university means creating a very complex system, which includes a lot of different sub system and specific components. In technological and organization perspective.

Thank you!

TRADUÇÃO

Estamos de volta com Alessandro Marguerita, e agora vamos explorar os desafios para implementar uma universidade de stakeholders.

Alessandro, quais são os principais desafios para implementar uma universidade de stakeholders?

Há um, o maior desafio, na minha opinião, é um desafio mental. Eu gosto de repetir o que Niccolo Machiavelli disse sobre a introdução de uma nova ordem de coisas. Introduzir uma nova ordem das coisas é das coisas mais complicadas a fazer, porque você tem que enfrentar o que as pessoas costumam fazer em sua vida e seu trabalho. Portanto, a mentalidade é um desafio em muitos casos, mas na gestão, a mentalidade é um desafio, uma barreira a superar. Porque quando se trata de criar uma universidade de stakeholders significa que você tem que compartilhar seu conhecimento. Assim, em muitos casos, o conhecimento é o seu ativo de vantagem competitiva mais importante. Criar uma universidade de stakeholders significa abrir seu trabalho ao mundo externo e entrar em contato com os stakeholders ​​que estão fora de sua instituição. O maior desafio é começar a pensar que você não está sozinho no mundo, você não está operando no vácuo, você precisa interagir com os outros. Então, este é um grande desafio a superar. A consciência da gestão nesse caso, que mudar e adotar o novo modelo é relevante é importante e é visível.

Como você supera esse desafio?

Mais uma vez é uma questão de consciência. Em muitos casos, os gerentes simplesmente não sabem que é importante para eles fazerem isso. A alta gestão lembra do que é importante quando é muito tarde, quando os concorrentes os superam, estão criando sua nova iniciativa que lhes permitiu superá-los em termos de participação de mercado, em termos de competitividade, em termos de retenção de mercado. Então, uma coisa é tentar encontrar um evangelista, o que eu chamo. Dentro de cada organização, há uma pessoa ou um grupo de pessoas que é mais capaz de capturar a necessidade, a tendência externa no mundo e transformar a necessidade em uma ação. Então, minha sugestão é encontrar um evangelista dentro da empresa, pode ser um gerente, podem ser funcionários, uma pessoa que tenta espalhar na organização a cultura da inovação. A importância de adotar um novo modelo. É o que eu chamo de evangelista.

Além do evangelista, você tem outra recomendação?

Encontrar um bom evangelista é o ponto de partida para o desenvolvimento da conscientização em sua organização. Mas, em seguida, vem a implementação. E quando se trata de implementação, é importante ter os recursos adequados, não apenas recursos financeiros, mas também recursos humanos, que tenham uma boa abordagem de gerenciamento de projetos, porque, você sabe, nesse caso, quando se trata de implementar a universidade de stakeholders ​​significa, por uma perspectiva operacional, que você precisa desenhar um projeto de implementação efetivo e complexo. Assim, as complexidades são associadas ao projeto, as complexidades de implementação são relacionadas a encontrar recursos adequados, recursos financeiros e criar o modelo de organização certo, o modelo correto de gestão de recursos humanos. Eu tenho que dizer que é muito importante que, quando você embarcar em um projeto de universidade de stakeholders muito complexo, é importante que você tenha ideias muito claras sobre o que fazer e quando. Isso significa que você precisa projetar um modelo integrado. Construir uma universidade de stakeholders significa construir novas formas de trabalhar, novas formas de interagir com os parceiros, novas formas de organização do conhecimento, novas formas de criar e aplicar o conhecimento. Assim, construir uma universidade de stakeholders significa criar um sistema muito complexo, que inclui muitos sub-sistemas diferentes e componentes específicos. Na perspectiva tecnológica e organizacional.

Obrigado!

Leia outros posts

Receba nossos Cafezinhos em seu email e também por Whatsapp!

Increva-se!

Nome

E-mail

Telefone

Como conheceu o Espresso3?

 

Inscreva-se!